Confira as 10 mentiras mais contadas nos currículos

Confira as 10 mentiras mais contadas nos currículos
Evite mentiras no currículo (Imagem: Shutterstock)

Saiba como fugir delas e como os recrutadores conseguem descobrir a verdade

Por Trabalhando.com

Algumas mentirinhas no currículo podem parecer inofensivas aos olhos dos candidatos. Contudo, em alguns casos, elas são facilmente descobertas pelos recrutadores, causando, assim, grandes prejuízos aos profissionais que investiram nas “farsas”.

1. Idiomas

Alguns profissionais entendem que colocar a língua estrangeira no currículo é essencial para participar dos processos seletivos. Contudo, se o candidato não souber falar aquele idioma, ele poderá ser facilmente descoberto por meio de um simples teste oral. 

2. Cursos

Profissionais citam cursos que teriam sido realizados dentro da antiga empresa, porém, ao procurar evidências, seja por meio de certificados ou entrando diretamente em contato com a empresa citada, é possível descobrir a verdade.

> Semana de trabalho com 4 dias tem ganhado espaço em empresas

3. Formação 

É comum a inserção de títulos de graduação ou pós-graduação concluídos, quando na verdade os cursos estão sendo realizados ou foram trancados. O que não é muito comum, mas também ocorre, é a falsificação de títulos e certificados. Entretanto, se a empresa checar as informações com a instituição de ensino, facilmente descobrirá a verdade.

4. Competências 

Muitos profissionais supervalorizam algumas qualidades, como “coordenei e gerenciei recursos e fornecedores”, quando, na verdade, a participação deles se resumia a convidados ou ouvintes. E caso os recrutadores chequem essas informações com a antiga empresa, a verdade será revelada. 

> 6 dicas do que fazer depois da entrevista de emprego

5. Período que trabalhou para a empresa

É unânime entre os recrutadores olhar por quanto tempo o profissional permaneceu em uma determinada empresa. Eles fazem isso para saber se a pessoa é instável profissionalmente ou não. Então, caso o candidato minta, será questão de tempo e um telefonema para a verdade vir à tona.

Entrevista de emprego (Imagem: Shutterstock)

6. Motivos da saída da empresa 

Conhecer o motivo que um profissional saiu da empresa é relevante para entender os objetivos e personalidade dele. O que geralmente acontece é a pessoa ter sido demitida e, na entrevista, dizer que saiu por livre e espontânea vontade. Cuidado: essa informação pode ser checada com a antiga empresa por meio de um telefone.

> Invista na carreira profissional que você gosta

7. Salários 

Algumas pessoas entendem que se mentirem sobre o salário anterior (aumentando o valor), conseguirão uma boa negociação na hora da entrevista. Porém, essa pequena farsa pode ser descoberta através de uma ligação ou e-mail do recrutador para o RH da antiga empresa.

8. Referências 

Referências são utilizadas para checar a veracidade das competências que estão no currículo. Mas, em alguns casos, essas referências são de amigos de trabalho ou parentes, o que enfraquece como prova, pois podem ter sido previamente combinadas. Nesse caso, para descobrir a verdade, o recrutador pode entrar em contato com o RH da antiga empresa ou pesquisar sobre a pessoa em sites de carreira, como o LinkedIn.

> Primeiro emprego: dicas para conquistar a vaga dos seus sonhos

9. Endereço 

Certas empresas têm preferência por regionalizar seus profissionais para reduzir custos. Sabendo disso, algumas pessoas colocam no currículo endereços de amigos ou parentes, como se morassem lá. Entretanto, essa mentira pode vir à tona por meio de algumas pesquisas por parte dos contratantes.

> Carreira: atitudes que ajudam e prejudicam sua imagem

10. Idade, filhos e estado civil 

Os profissionais entendem que algumas empresas com cargos que demandam viagens nacionais e internacionais preferem e priorizam certos tipos de perfil, como aqueles que não têm filhos e são solteiros. Caso o candidato minta sobre essas informações, ele poderá ser desmentindo através da própria documentação.

Acompanhe mais dicas de carreira na revista ‘Sim, você pode!’

Redação EdiCase

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *