Estresse muscular: confira as causas e veja como evitá-lo

Estresse muscular: confira as causas e veja como evitá-lo
Excesso de exercícios físicos pode ser prejudicial (Foto: Shutterstock)

Além de prejudicar a saúde, problema pode colocar em risco o seu objetivo físico

Buscar uma boa forma física, praticar exercícios regularmente e cuidar da saúde são cuidados necessários para os dias de hoje. No entanto, a prática exagerada de alguma atividade ou a necessidade de atingir um ideal de corpo, muitas vezes, leva o indivíduo a cometer excessos.

> Entenda o que é necessário para conquistar a forma ideal sem prejudicar o seu corpo

“Quando se atinge um nível de trabalho acima do que a musculatura recrutada está acostumada, a pessoa pode ter comprometimento no rendimento funcional”, explica o preparador físico Renan Braga.

Essa é uma das principais causas do estresse muscular, que também pode surgir em decorrência da vida corrida e da falta de descanso da musculatura. “Esse aspecto pode ser evitado por meio de treinos adequados ao seu biotipo e estilo de vida”, comenta Renan Braga. 

Identifique a causa das dores  

O estresse muscular causa dores regulares, especialmente após as atividades físicas, exaustão, espasmos e, em casos mais avançados, pode evoluir para uma série de lesões. As musculaturas mais afetadas são as paravertebrais (costas), devido à má postura, e as abdominais (frente), além das pernas, que são solicitadas a todo o momento.

O preparador físico alerta que ao sentir essas dores regularmente o ideal é parar de treinar e procurar um médico especialista, que poderá identificar as possíveis causas e indicar o tratamento adequado. 

“O importante é não ultrapassar seu limite de treinos diários para eliminar os riscos de lesões. Exageros nunca são bons, e ao invés de te fazer atingir o objetivo mais rápido, podem te afastar das atividades. A fórmula ideal é o equilíbrio”, alerta Renan Braga. 

> Crossfit para emagrecer

Tratamento para o estresse muscular 

Segundo Renan Braga, o tratamento varia de acordo com o grau de estresse muscular que o músculo se encontra. Em casos leves, pode ser feito em casa mesmo, colocando gelo 3 vezes ao dia por 15 a 20 minutos. Em outras situações é preciso cessar a atividade física e ingerir medicamentos analgésicos para reduzir a dor. 

“Nosso corpo funciona como uma máquina, que precisa de manutenção e cuidados para trabalhar corretamente. Siga sempre as orientações de profissionais para não exagerar e provocar dores desagradáveis no dia a dia. O ritmo dos exercícios deve ser aumentado a cada dia, de maneira que o corpo responda corretamente a tal atividade”, conclui. 

> Estresse crônico na infância: veja como identificar e combater

Como prevenir esse problema

  • Melhore a função muscular aprimorando sua força e flexibilidade por meio de exercícios físicos regulares e adequados ao seu biotipo e estilo de vida, sempre com acompanhamento de profissionais;  
  • Alimente-se bem, principalmente com comidas que contenham cálcio, e hidrate-se
  • Escolha um calçado apropriado para a prática de esportes; 
  • Fique atento aos sintomas que seu corpo mostra, como edema, dor e hipersensibilidade focal; 
  • Não abuse, não sobrecarregue o músculo e aumente gradativamente a frequência e dificuldade nos treinos. 

Leia mais sobre o tema na revista Músculo + Força

Redação EdiCase

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *