HPV em homens: entenda sobre o diagnóstico e o tratamento

HPV em homens: entenda sobre o diagnóstico e o tratamento
Homens também podem contrair HPV (Imagem: Shutterstock)

Apesar de as mulheres estarem mais suscetíveis, essa infecção sexualmente transmissível também atinge os homens

A infecção por HPV, sigla em inglês para Papiloma Vírus Humano, é a principal causa do câncer no colo do útero. De acordo com o Instituto Nacional de Câncer (Inca), esse é o tumor mais frequente e é a quarta causa de morte de mulheres no Brasil. Apesar de ser frequentemente relacionado ao universo feminino, os homens também podem contrair o vírus e devem, portanto, se preocupar.

“A mulher é mais suscetível a desenvolver a doença porque no colo do útero há um ambiente muito favorável às infecções por HPV, diferentemente do pênis, que é coberto por uma pele de revestimento. Mas os homens também podem portar o vírus e não saber”, explica a Dra. Luisa Lina Villa, docente do Departamento de Radiologia e Oncologia da Faculdade de Medicina da USP e chefe do laboratório de Inovação em Câncer do Centro de Investigação Translacional em Oncologia do ICESP.

> 6 dúvidas sobre cuidados com as unhas

Como é feito o diagnóstico?

Para identificar o HPV, o médico esfrega levemente a região peniana e faz um teste molecular capaz de detectar a presença do DNA do vírus. Entretanto, o fato de obter um resultado positivo nesse exame não significa que o indivíduo tenha a doença.

“Essa é uma confusão que frequentemente se faz. Mais da metade dos homens está infectada com o vírus, não tem uma lesão aparente e pode contaminar a sua companheira. Somente 3% deles desenvolverão verrugas”, ressalta o Dr. Aguinaldo Cesar Nardi, urologista e professor de Medicina na Faculdade de Odontologia de Bauru da USP.

Quando procurar ajuda médica?

O Dr. Aguinaldo Cesar Nardi explica que as lesões além de crescerem, podem se propagar nas regiões vizinhas da superfície do pênis. “Por isso, ao notar uma lesão peniana que persista por 15 dias ou mais, procure o médico. Pode ser verruga, mancha ou ferida. Quanto maior o tempo de espera para tratar, maior será a extensão”, complementa Agnaldo.

> Entenda o que é nistagmo, condição que afeta cantor do Black Eyed Peas

Outros tipos de tumores

A Dra. Luisa Lina Villa destaca também os tumores ano-genitais, que são detectados por meio de análise clínica e, se necessário, é feita uma biópsia da região para um exame histopatológico, capaz de determinar o tipo de lesão (benigna ou maligna). Além disso, pode-se investigar a presença do vírus por meio de testes moleculares.

Diagnóstico precoce ajuda no tratamento contra HPV
Diagnóstico precoce ajuda no tratamento contra HPV (Imagem: Shutterstock)

Tratamento para HPV em homens

Os procedimentos de tratamento são simples e, em geral, bastante efetivos, desde que a pessoa não vá ao médico com um câncer em estágio avançado. O Dr. Aguinaldo Cesar Nardi explica que o tratamento pode ser feito por meio de eletrocauterização ou laser para lesões pequenas.

“O paciente leva de 10 a 15 dias para se recuperar da ferida causada pela cauterização. Então, a vantagem do laser é que o aspecto estético fica melhor e a recuperação é mais rápida”, complementa.

A Dra. Luisa Lina Villa relaciona também pomadas que estimulam o sistema imune local e contribuem para a eliminação da verruga. “Mas esses medicamentos não têm eficácia demonstrada em lesões precursoras de câncer”, reitera.

> Varizes na adolescência: conheça as causas e a forma de tratamento

Prevenção contra o HPV

O vírus é transmissível pelo contato na relação sexual, seja ela vaginal, oral ou anal. É importante ressaltar que a incidência de doenças na região do ânus vem aumentando. “Manipulação com os dedos e brinquedos sexuais também podem ser um canal transmissor. Atualmente, o vírus acomete cerca de 20% das mulheres e 50% dos homens. Quanto mais contato sexual sem proteção, maior o risco de adquirir o HPV”, reforça a Dra. Luisa Lina Villa. Por isso, além das vacinas contra o HPV, o uso de preservativo também é importante para a prevenção.

Veja mais notícias sobre saúde na revista ‘Cuidando da Saúde’

Redação EdiCase

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *