Suor excessivo: descubra as causas e saiba como tratar

Suor excessivo: descubra as causas e saiba como tratar

Veja o que fazer para controlar a hiper-hidrose e ter uma vida normal

O suor é um mecanismo natural, que tem como principal função equilibrar a temperatura do corpo em relação ao ambiente em que estamos. Entretanto, o suor em excesso, além de incomodar e causar constrangimento, pode ser um distúrbio causado por fatores psicológicos ou orgânicos.

O que é hiper-hidrose?

A hiper-hidrose acontece quando o suor é excessivo e independe da temperatura do ambiente. Segundo Mario Chaves, dermatologista da clínica Derma Gávea, ela pode ser dividida em primária e secundária. “A hiper-hidrose primária, o tipo mais comum, caracteriza-se por uma sudorese excessiva localizada nas regiões palmoplantar e/ou axilas”, explica.

Camila Paula Silva, fisioterapeuta dermatofuncional da Clínica Daniela Zavatini, acrescenta que a hiperhidrose primária, não possui causas conhecidas e os efeitos podem iniciar em qualquer fase da vida e permanecer pelo resto dos anos.

Hiper-hidrose secundária

Já a hiper-hidrose secundária, de acordo com Mario Chaves, pode ser localizada ou generalizada e “associa-se a condições médicas, como síndromes genéticas, malignidade ou infecção”, explica o dermatologista.

A fisioterapeuta dermatofuncional acrescenta que o problema pode “estar associado à obesidade, menopausa, uso de drogas antidepressivas, alterações endócrinas e alterações neurológicas com disfunção do sistema nervoso”.

Como melhorar a hiper-hidrose?

Algumas atitudes e mudanças de hábitos no dia a dia podem melhorar significativamente os quadros de hiper-hidrose. A cirurgiã plástica Daniela Zavatini, da Clínica Daniela Zavatini, apresenta algumas sugestões:

• Use roupas de tecidos leves (algodão ou linho), claras e soltas. Evite os tecidos sintéticos.

• Tenha sempre lenços descartáveis e, se for o caso, peças de roupa para trocar.

• Evite lugares muito quentes e mantenha a sua casa ventilada.

• Consuma com moderação bebidas alcoólicas e com cafeína e comidas picantes.

• Escolha antitranspirantes que contenham de 10% a 15% de hexahidrato de cloreto de alumínio. Eles podem causar irritação na pele, se você for sensível, ou manchar a roupa.

• Adote medidas para combater o estresse.

Como tratar o problema

De acordo com o dermatologista Mario Chaves, para o tratamento da hiper-hidrose “podem ser utilizados inicialmente medicamentos tópicos prescritos pelo dermatologista, como aplicação de toxina botulínica do tipo A e medicamentos orais”.

Soluções para casos graves

Em casos mais graves de hiper-hidrose, existem outros tratamentos específicos que podem ser adotados para solucionar o problema. A cirurgiã plástica Daniela Zavatini lista alguns deles:

Simpatectomia: consiste na secção de determinados pontos do tronco simpático, localizado no interior da cavidade torácica. Com isto, o estímulo nervoso para as glândulas sudoríparas cessa e a sudorese desaparece. Após este tratamento cirúrgico, pode surgir aumento de sudorese em outras áreas, como no tronco.

Excisão das Glândulas Axilares: consiste na retirada de segmento da pele da axila rica em glândulas sudoríparas. O resultado varia conforme o tamanho da área retirada. Pode ocorrer formação de cicatriz hipertrófica limitando a movimentação do membro superior.

Aplicação de toxina botulínica: indicada na hiper-hidrose secundária, principalmente axilar, tem eficácia cientificamente comprovada. Tem como inconveniente a durabilidade do tratamento. Novas aplicações devem ser realizadas, em média, a cada 8 meses.

Redação EdiCase

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.