Benefícios do chocolate para a saúde

Benefícios do chocolate para a saúde

Entenda os motivos que elevam esse doce ao status de saudável

O chocolate é produzido a partir do cacau, uma planta nativa das florestas quentes e úmidas. O chocolate amargo deve ser elaborado com, no mínimo, 25% de sólidos totais de cacau. Mas para ser considerado saudável mesmo, é importante que seja constituído de mais de 50% de cacau. Isso porque quanto maior a porcentagem de cacau, menor a porcentagem de açúcar e gordura, que são os ingredientes que tornam o chocolate pouco saudável.

Benefícios do cacau e do chocolate amargo

O cacau é uma fruta extremamente rica em antioxidantes, que oferecem diversos benefícios para o nosso corpo. “Os antioxidantes combatem os radicais livres, evitando os danos oxidativos causados por eles no DNA, e por isso estão relacionados com a prevenção do envelhecimento precoce e de diversos tipos de câncer e doenças neurológicas como o Alzheimer”, enumera a nutricionista Natália Colombo, da Clínica NC Nutri, em São Paulo. Logo, todos esses benefícios podem ser obtidos com o consumo do chocolate amargo.

“Além do antioxidante, o chocolate amargo também apresenta aminas biogênicas, que estimulam a produção de neurotransmissores como a dopamina e serotonina, relacionados com o bem-estar e controle da ansiedade”, acrescenta Natália Colombo. “Também possui teobromina, que está relacionado com o aumento da energia, redução de apetite e efeito vasodilatador”, completa.

Chocolate para a saúde

De acordo com a especialista da Clínica NC Nutri, o melhor chocolate é o que possui no mínimo 70% de cacau (informação que deve estar na embalagem do produto). “Isso porque se 70% é cacau, que é ótimo para a saúde, apenas o restante, 30%, vai ser de gordura ou manteiga de cacau e leite e/ou açúcar”, explica.

Mas se você não gosta de chocolate tão amargo, também pode obter benefícios com porcentagens um pouco menores. “Para que o chocolate tenha uma boa quantidade de flavonoides, se transformando assim em um alimento saudável, tem que ter no mínimo 50% de cacau em sua composição”, afirma o nutricionista Bruno Machado.

Contra hipertensão

De acordo com a nutricionista Natália Colombo, alguns estudos têm mostrado que o cacau melhora o fluxo sanguíneo, prevenindo a formação de coágulos e melhorando a pressão sanguínea. Porém, o nutricionista Bruno Machado complementa que apenas o chocolate amargo, consumido isoladamente, não traz tantos benefícios. Ele deve fazer parte de uma alimentação saudável.

“A maior parte dos benefícios trazidos pelo chocolate vem dos flavonoides (chamados catequinas e proantocianidinas), que são antioxidantes naturais. Mas o alimento também é uma fonte importante de potássio e magnésio, minerais”, acrescenta a nutricionista Daniela Medeiros. O consumo ajuda na redução da formação de placas de gordura, no controle da pressão arterial e melhora o fluxo sanguíneo.

Quanto devo comer?

Mesmo sendo saudável, o chocolate amargo não deve ser consumido em excesso. Ele pode ser consumido todos os dias em pequenas quantidades se estiver associado à um plano de alimentação saudável, recomenda Bruno Machado.

“A quantidade pode variar dependendo do caso ou da pessoa, mas estudos têm mostrado que com 30 gramas de chocolate 70% cacau por dia você já consegue aproveitar bem todos os benefícios do cacau, tanto sua ação antioxidante, que pode ajudar na prevenção de alguns tipos de câncer, entre eles de intestino”, acrescenta Natália Colombo.

Cuidado com o consumo

Tudo o que é consumido em exagero pode engordar. “O chocolate amargo é muito bom para a saúde, mas deve ser consumido com moderação, assim como os outros. Em termos de calorias, 100 gramas do chocolate ao leite têm 540 cal contra 475 do amargo, tem diferença, mas não é tão grande”, alerta a nutricionista da NC Nutri. Entretanto, apesar da diferença calórica não ser tão significativa, a quantidade de gordura é muito maior no chocolate ao leite, prejudicando a saúde e favorecendo o aumento de peso.

Aprendendo a consumir

Apesar de todos os benefícios do chocolate amargo, não é todo mundo que aprecia seu sabor. Muitas pessoas continuam preferindo o ao leite ou o branco, que infelizmente não possuem as substâncias saudáveis fornecidas pelo cacau. “Como é a versão amarga que traz tantas vantagens, o sabor pode ser um impedimento para seu consumo. Uma dica para começar a consumir esse tipo de chocolate é introduzir chocolates com um teor ligeiramente maior de cacau e ir aumentando aos poucos, para habituar o paladar”, aconselha a nutricionista Daniela Medeiros.

Outras opções

Se você não quiser ingerir o chocolate amargo de jeito nenhum, a nutricionista aconselha a consumir os outros com muito mais moderação. “Os alimentos ricos em açúcares e gorduras e pobres em compostos bioativos (substâncias benéficas à saúde) deve ser mínimo. O que a pirâmide dos alimentos destaca é que o consumo de 1 porção por semana não traz riscos à saúde”, indica Daniela Medeiros.

Para Natália Colombo, os chocolates brancos e ao leite não devem ser consumidos por não trazerem nenhum benefício à saúde. Mas se for impossível resistir, a nutricionista aconselha a não passar de 15 g por dia.

Redação EdiCase

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *