Dia mundial do chocolate: veja 5 mitos e verdades sobre os efeitos do doce na pele

Dia mundial do chocolate: veja 5 mitos e verdades sobre os efeitos do doce na pele
Mitos e verdades sobre os efeitos do chocolate na pele (Imagem: Shutterstock)

Dermatologistas esclarecem as principais dúvidas e explicam como esse alimento pode ajudar a deixar a pele mais bonita

Por Maria Claudia Amoroso 

No dia 7 de julho é comemorado o Dia Mundial do Chocolate em celebração à chegada do doce à Europa e, antes disso, ao pioneirismo do cultivo do cacau pelos Maias e Astecas. Apesar da iguaria ser uma das guloseimas preferidas de muita gente, ainda existem muitas dúvidas quanto aos malefícios que ele pode trazer à pele. “Há um mito de que o chocolate é realmente o causador da acne”, afirma a dermatologista Dra. Paola Pomerantzeff, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD).

Por isso, os dermatologistas Dra.  Paola Pomerantzeff e Dr. Daniel Cassiano esclareceram os principais mitos e verdades sobre os efeitos do chocolate na saúde da pele. Confira! 

> Produtos de beleza veganos: especialista dá dicas para comprar corretamente

1. O cacau ajuda a deixar a pele mais bonita?

Verdade. De acordo com a médica, para responder adequadamente a essa pergunta, é necessário observar a lista de ingredientes da barra de chocolate. “Isso porque o cacau em si é um alimento extremamente benéfico e que não está relacionado ao surgimento ou piora da acne, pelo contrário: esse ingrediente é um aliado da saúde e da pele”, explica. 

“Como um poderoso antioxidante que ajuda a promover luminosidade e hidratação, o cacau contém flavonoides, fitonutrientes com propriedades antioxidantes e anti-inflamatórias, que auxiliam na proteção aos danos dos raios UV, prevenindo as rugas e combatendo os radicais livres. Isso ajuda a deixar a pele mais brilhante e saudável”, afirma Dra. Paola Pomerantzeff. 

2. O chocolate amargo causa espinhas? 

Mito. De acordo com o dermatologista Dr. Daniel Cassiano, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), o chocolate amargo não causa espinhas, ao contrário do que muitos acreditam. “Na verdade, o contexto alimentar do paciente é mais importante para definir se a alimentação terá uma influência positiva ou negativa na sua pele, com aparecimento de inflamações ou aceleração do envelhecimento”, destaca. 

Pedaços de chocolate
Chocolates muito doces podem agravar o aparecimento de acnes (Imagem: Shutterstock)

3. Consumir chocolates muito doces pode aumentar as espinhas?

Verdade. O cacau é de gosto amargo, por esse motivo para deixá-lo mais saboroso, a indústria adiciona açúcar e gorduras no chocolate. “E alimentos ricos em gorduras, açúcares e hidratos de carbono, como os chocolates ao leite e branco, têm alto índice glicêmico”, explica a Dra. Paola Pomerantzeff.

A médica também explica que “muitos estudos sugerem que a alta carga glicêmica na dieta habitual está envolvida com a ocorrência e gravidade da acne vulgar em pacientes predispostos, na medida em que favorece o aumento da secreção sebácea e desenvolvimento de acne. A gordura e o leite presente em chocolates podem colaborar também para o agravamento do quadro”.

Além disso, o dermatologista Dr. Daniel Cassiano esclarece que o organismo está acostumado a lidar com as moléculas liberadas pelo metabolismo, mas quando há uma produção exagerada delas, o sistema antioxidante natural não é capaz de combatê-las. “Como resultado, sofremos com alterações nas funções das células, até mesmo no DNA celular, e isso culmina no envelhecimento precoce, com aparecimento de manchas, rugas e flacidez – pela perda de função das proteínas de sustentação”.

> 3 ideias de penteados para se inspirar

4. Chocolate amargo e meio-amargo é a melhor opção para a pele?

Verdade. Com mais de 50% de cacau e o padrão ouro (com mais de 70%) fornecem os benefícios antioxidantes dos flavonoides do cacau e podem ser ricos em vitamina C e E, cálcio, fósforo, ferro, potássio e sódio.

“Essa é realmente a melhor opção, já que traz menos quantidade de carboidratos e açúcar, além de contar com ação antioxidante e anti-inflamatória. As versões deste chocolate com oleaginosas trazem mais benefícios e nutrientes, principalmente para pacientes com pele seca”, diz a dermatologista Dra. Paola Pomerantzeff.  Mas atenção à dose: 30g ao dia é o recomendado – portanto uma barra de chocolate (90g geralmente) pode ser consumida, em média, em três dias.

5. Chocolates ao leite e brancos não fazem mal a pele oleosa? 

Mito. Pacientes de pele oleosa devem evitar chocolates ao leite e branco, principalmente se ele ainda tiver amendoim e castanhas, que trazem mais gorduras saturadas (e, muitas vezes, mais açúcar) para a pele e as glândulas serão as responsáveis por excretar este acúmulo de gordura. “O ideal é evitá-los, pois possuem mais gordura e açúcar, ambos envolvidos com o processo de inflamação e aceleração do envelhecimento da pele”, explica a Dra. Paola Pomerantzeff. 

Confira mais dicas de beleza na revista ‘Inspire-se Beleza’

Redação EdiCase

One thought on “Dia mundial do chocolate: veja 5 mitos e verdades sobre os efeitos do doce na pele

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.