3 dicas para definir o tema do quarto do bebê

3 dicas para definir o tema do quarto do bebê
A decoração do quarto do bebê não deve ser feita visando apenas aquilo que está na moda (Imagem: Shutterstock)

Preparar o quarto para a chegada de um novo filho é um dos momentos mais especiais para os pais. Além disso, é uma tarefa muito prazerosa e repleta de amor. As opções de temas são inúmeras e variadas, como animais, esportes, personagens, formas geométricas, entre muitos outros. São tantos que costumam deixar os pais um pouco confusos na hora de escolher um. Por isso, confira algumas dicas que vão te ajudar a encontrar uma temática para o espaço do seu bebê.

1. Opte por temas que transmitem a personalidade da criança

Para a arquiteta e urbanista Marina Belotto, a escolha do tema não deve ser feita visando apenas aquilo que está na moda, para não ser algo sem identidade. Ela sugere optar por algo que esteja relacionado com a história da família, com a expectativa de personalidade da criança e que seja atemporal. “Eu gosto de pensar que escolher o tema reflete muito do emocional daquele momento”, afirma.

2. Selecione os itens de acordo com o tema

Definir a temática do quarto é importante para não sair comprando tudo que encontra pela frente. Assim, fica mais fácil de selecionar somente os itens que estão relacionados com o espaço. Isso também ajuda a economizar dinheiro.

Receba as novidades sobre Saúde e Bem-estar, Astrologia, Beleza, Culinária e muito mais!

Quarto de bebê com parede azul, berço, cômoda e luminária
Temática adaptável evita trabalho com decoração no futuro (Imagem: Shutterstock)

3. Considere o crescimento da criança

No momento de escolher o tema para o quarto, deve-se levar em consideração que o bebê crescerá, logo, os gostos dele poderão mudar ao longo do tempo. Por isso, pensar em temáticas que funcionem nos primeiros anos de vida da criança e que possam ser adaptadas facilitará o trabalho no futuro.

“Pegar um conceito de estilo, criar uma cartela de cores e materiais e fazer uma base mais neutra, que possa acompanhar essa transformação, e aí introduzir elementos temáticos em almofadas, papel de parede e objetos que possam ser trocados mais para frente, é uma solução que adoto muito não só em quarto de bebê, mas também em quarto de crianças e adolescentes”, explica a designer de interiores Mimy Anselmo.

Laleska Diniz

Jornalista pela PUC-SP e pós-graduanda em Marketing pela USP. Apaixonada por produção de conteúdo, trabalha há quase 6 anos com comunicação. Na EdiCase, produz textos sobre os mais variados assuntos para revistas impressas e digitais e portal de notícias.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.