Hipoglicemia e hiperglicemia: entenda as diferenças e saiba como evitá-las

Hipoglicemia e hiperglicemia: entenda as diferenças e saiba como evitá-las
Níveis de açúcar no sangue (Imagem: Shutterstock)

Veja como diferentes picos de açúcar no sangue podem afetar a saúde dos diabéticos

O diabetes é uma doença causada pela produção insuficiente ou má absorção de insulina, hormônio que regula a glicose no sangue. Sem os cuidados adequados, os pacientes podem sofrer com as alterações nos níveis de açúcar no sangue: a hiperglicemia ou a hipoglicemia.

Hipoglicemia

Segundo a endocrinologista Manuela Rocha Braz, a hipoglicemia é a situação em que os níveis de açúcar no sangue ficam baixos. No paciente, a hipoglicemia acontece como um efeito colateral a alguns tipos de tratamento, por exemplo, o uso de insulina, e alguns medicamentos orais.

“Isso acontece porque, recebendo insulina externa, o corpo perde a principal defesa contra a hipoglicemia: a de interromper a produção de insulina”, acrescenta a endocrinologista.

Sintomas da hipoglicemia

Falta de açúcar no sangue (Imagem: Shutterstock)

Mal-estar, taquicardia, sudorese (transpiração excessiva), palpitações e sensação de fome são alguns dos sintomas da hipoglicemia. De acordo com Manuela Rocha Braz, em casos extremos, ela pode levar a desmaio, convulsão e coma. “Por isso, é muito importante que o paciente com risco de hipoglicemia esteja informado sobre como identificar e tratar a hipoglicemia”, completa.

> 7 alimentos antioxidantes e o poder deles para a saúde e beleza do corpo

Tratamento

O tratamento para a hipoglicemia é simples: “consiste na ingestão de 15 g de açúcar de rápida absorção para normalizar rapidamente os níveis no sangue”, explica a médica. Após ingerir o açúcar, deve-se esperar 15 minutos para que a glicemia seja normalizada. 

“Nesse período, o paciente sente muita fome, mas é importante não comer nada além dos 15 gramas de açúcar, pois outros tipos de alimentos podem atrasar a absorção do açúcar”, alerta Manuela Rocha Braz. A médica acrescenta que, se após 15 minutos a glicemia ainda estiver baixa, deve-se ingerir novamente 15 gramas de açúcar de rápida absorção.

Evitando a hipoglicemia

Para evitar a hipoglicemia é recomendado seguir as orientações do médico, tomar os remédios nos horários e nas doses certas, não pular ou atrasar refeições e conversar com o médico antes de começar a praticar alguma atividade física.

> Saiba por que beber água é importante para a saúde

Hiperglicemia

Excesso de açúcar no sangue (Imagem: Shutterstock)

A hiperglicemia é o nome que se dá a alta quantidade de glicose no sangue, ou seja, o contrário da hipoglicemia. “É comum ocorrer no controle do diabetes oscilações da glicemia, levando algumas vezes a valores acima do ideal”, explica a endocrinologista Manuela Rocha Braz.

> Conheça os benefícios da dança para a saúde

Pode-se considerar que os níveis estão altos quando se encontram em quantidades maiores que 300mg/dl. Quando isso acontece, o sangue fica ácido e coloca a vida do paciente em risco, podendo acontecer uma parada cardíaca ou coma.

“Casos mais graves de hiperglicemia ocorrem em algumas situações, como uso irregular das medicações e quadros agudos, como infecções”, explica Manuela Rocha Braz. Nestes casos, a hiperglicemia pode levar a quadros que necessitem de atendimento de emergência. Por isso, é muito importante manter o acompanhamento médico.

Sintomas da hiperglicemia

Os sintomas dahiperglicemia costumam ser: visão turva, excesso de sede, fome constante e difícil de saciar, boca seca, desidratação, cansaço, confusão mental, dor abdominal e aumento na quantidade de urina. Ao notar qualquer tipo de oscilação no corpo, a médica Manuela Rocha Braz recomenda anotar os sinais e informar ao endocrinologista.

Acompanhe outras dicas de saúde na Revista ‘Emagreça com saúde’

Redação EdiCase

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.