Veja como o verão pode causar e agravar problemas vasculares

Veja como o verão pode causar e agravar problemas vasculares
Risco de problemas vasculares como trombose e varizes aumenta durante o verão (Imagem: Sorapop Udomsri | Shutterstock)

O verão é uma estação sinônimo de momentos de lazer à beira da piscina, dias ensolarados na praia, saborear sorvetes refrescantes e aproveitar o calor do sol. No entanto, nem tudo é diversão e relaxamento nesta época do ano. Um aspecto preocupante são os problemas vasculares, que tendem a ser mais comuns devido às características climáticas deste período.

“As altas temperaturas do verão favorecem o processo de vasodilatação, em que os vasos sanguíneos se dilatam e provocam uma sobrecarga nas veias dos membros inferiores. Como resultado, torna-se mais comum apresentarmos sintomas como cansaço, sensação de peso na região, câimbras, dor e edemas nessa época do ano. Além disso, o risco de problemas vasculares como trombose e, principalmente, varizes também aumenta”, alerta a cirurgiã vascular Dra. Aline Lamaita, membro da Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular.

O verão é especialmente perigoso para pessoas que possuem histórico familiar de trombose e varizes, visto que a predisposição genética é o principal fator de risco dessas condições. “E, para pacientes com lipedema, alguns cuidados com a saúde são ainda mais importantes para que a estação não se torne uma tortura”, acrescenta a médica.

Receba as novidades sobre Saúde e Bem-estar, Astrologia, Beleza, Culinária e muito mais!

Sintomas para ficar de olho

Durante o calor, é muito importante ficar atento aos sinais que podem indicar que há algo errado com a circulação, principalmente o inchaço. “O inchaço é um sinal comum da má circulação, ocorrendo quando o coração não consegue circular sangue suficiente para o corpo todo ou quando o retorno do sangue para o coração fica prejudicado. Este problema está intrinsecamente relacionado ao peso das pessoas, já que quilos extras colocam mais pressão sobre o abdômen, reduzindo assim o fluxo sanguíneo de volta para o coração, aumentando a pressão das veias”, alerta a cirurgiã vascular.

Lipedema e estratégias de controle

No caso do lipedema, uma doença caracterizada pelo acúmulo de tecido gorduroso com aumento desproporcional no tamanho dos membros, é uma condição que afeta principalmente áreas como coxas, culotes, quadris e pernas o ano todo. Porém, o inchaço de verão pode piorar ainda mais o problema.

“Dor ao toque, presença de nódulos e acúmulo desproporcional de gordura que não é perdida com dieta e exercícios são sinais clássicos do lipedema. Como a doença não tem cura, mas tem controle, recomendamos mudanças no estilo de vida com adoção de uma alimentação anti-inflamatória e prática regular de atividade física, que são estratégias importantes para controlar a evolução do lipedema”, sugere a médica.

“Mas outras medidas devem ser adotadas, como uso de meias de compressão e medicamentos e até mesmo a realização de procedimentos cirúrgicos para a retirada do tecido gorduroso doente, como a lipoaspiração, em casos específicos”, acrescenta. No entanto, é fundamental consultar um médico antes de adotar qualquer medida.

Homem vestindo blusa laranja e short preto correndo em um parque
É fundamental realizar atividades físicas pelo menos três vezes por semana (Imagem: NDAB Creativity | Shutterstock)

Prevenindo e controlando problemas vasculares

Os hábitos saudáveis também ajudam a prevenir problemas vasculares. “Procure manter uma dieta equilibrada, rica em vegetais e livre do excesso de alimentos processados e frituras. É importante também realizar atividades físicas regularmente, pelo menos três vezes por semana”, aconselha a médica. “Dormir bem também é fundamental, pois uma boa noite de sono ajuda no funcionamento adequado do corpo, diminuindo o estresse, os níveis de cortisol e auxiliando a controlar a pressão arterial“, completa.

Porém, o cuidado mais importante com a circulação durante o calor é a hidratação. Então, o ideal é apostar na ingestão de, no mínimo, 2 litros de líquido por dia. “Evite também hábitos que favoreçam a desidratação, como o consumo excessivo de bebidas alcoólicas e de alimentos ricos em sódio, que promovem o aumento da pressão arterial”, alerta a Dra. Aline.

“A utilização de cosméticos hidratantes também é interessante para prevenir o surgimento de fissuras na pele causadas pelo processo de vasodilatação provocado pelas altas temperaturas”, sugere.

Benefícios da drenagem linfática

Vale a pena ainda apostar na drenagem linfática, que ajuda a reduzir inchaços locais e generalizados. Além disso, a técnica previne e trata problemas de ordem estética, muscular e articular, promovendo o bem-estar geral do organismo. “Podendo ser aplicada em praticamente todas as partes do corpo, a drenagem linfática age estimulando o sistema linfático, o que acelera o fluxo da linfa e proporciona a mobilização de líquido dos tecidos”, explica a cirurgiã vascular.

A especialista ainda afirma: “mas vale ressaltar que a drenagem linfática tem sua realização proibida em portadores de câncer de qualquer tipo e em pacientes com suspeita de trombose ou tromboflebite. Já em pacientes com problemas de circulação, gestantes ou qualquer outra patologia relacionada, a drenagem deve ter indicação médica”.

Consulte um médico

Caso você sinta algum dos sinais mencionados anteriormente, é importante consultar um médico especializado o quanto antes. “Apenas o especialista poderá realizar uma avaliação e identificar a causa dos sintomas, assim recomendando o tratamento mais adequado para cada caso”, finaliza a Dra. Aline Lamaita.

Por Maria Claudia Amoroso

Portal EdiCase

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.