Alergia alimentar: entenda as causas e como tratá-la

Alergia alimentar: entenda as causas e como tratá-la
Problema pode atingir pessoas de qualquer idade

Reação adversa a alimentos e que envolve um mecanismo imunológico

Muitas pessoas têm reações alérgicas, mas demoram anos para descobrir a origem. A causa pode estar nos alimentos. Natália Colombo, nutricionista da clínica NCNutre, explica que a alergia ou hipersensibilidade alimentar é uma manifestação do sistema imunológico.

“Essa reação alérgica é uma resposta anormal ou exagerada do sistema imune a um alimento. No caso, a proteína ou molécula ligada à proteína alimentar, que é identificada como um ‘corpo estranho’”, esclarece.

Reação das células

De acordo com a Associação Brasileira de Alergia e Imunopatologia, estima-se que 6 a 8% das crianças com menos de 3 anos e 2 a 3% dos adultos apresentam reações alimentares de causas alérgicas.

“Para se defender desses invasores, as células do sistema imune produzem os anticorpos. Mas essa reação estimula outras células especializadas a liberar histamina e provoca os sintomas alérgicos”, afirma Natália Colombo.

Fatores que favorecem a alergia alimentar

Alguns fatores contribuem para a alergia alimentar, como desmame precoce, introdução precoce de alimentos alergênicos, deficiência de fibras e nutrientes, hábito alimentar e medicamentos que interfiram no funcionamento do trato gastrointestinal e na biodisponibilidade de alimentos.

“Os alimentos mais ‘alergênicos’ são o leite de vaca, amendoim, soja, trigo, ovo, frutas cítricas, peixes e frutos do mar”, conta a nutricionista. Outra influência para o desenvolvimento de reações alérgicas é a genética. Estudos mostram que 50% dos pacientes com alergia alimentar possuem história familiar do problema.

Sintomas

Os sintomas da alergia alimentar são muitos e dependem do tipo de alimento causador da reação: “O que torna a alergia alimentar mais difícil de ser diagnosticada é que seus sintomas podem ser confundidos com diversas outras coisas”, acrescenta a nutricionista. Alguns dos sintomas mais comuns são: asma, sinusite, rinite, candidíase, má absorção de nutrientes, diarreia e urticárias.

Exclusão de alimento alergênicos

As alergias podem aparecer em qualquer idade. E, quando detectada, o alimento alergênico deve ser excluído da dieta por um período entre 1 a 3 meses, ou até mais, dependendo do caso.

“No caso da exclusão, o alimento é substituído por outros que possuam valores nutricionais semelhantes, para que não haja nenhum tipo de deficiência”, esclarece Natália Colombo.

De acordo com a nutricionista, depois desse período, com a melhora da imunidade e da saúde intestinal, o alimento pode ser reintroduzido, aos poucos, e os sintomas devem ser analisados, para ver se é possível introduzir o alimento novamente ou não.

Confira na revista ‘Culinária Popular’ diversas receitas veganas.

Redação EdiCase

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *