Animais vertebrados: veja quais são e conheça as suas características

Animais vertebrados: veja quais são e conheça as suas características
Os mamíferos são os mais conhecidos do reino animal (Imagem: Shutterstock)

Os animais vertebrados caracterizam-se pela presença de coluna vertebral segmentada e de crânio. Esse grupo é representado pelos peixes, anfíbios, répteis, aves e mamíferos. A seguir, descubra o modo de vida e os aspectos físicos de cada um deles.

1. Peixes

Os peixes representam o maior grupo de vertebrados em número de espécies. Eles ocupam as águas salgadas dos mares e oceanos, além das águas-doces dos rios, lagos e açudes. Esses seres são pecilotérmicos, ou seja, a temperatura do seu corpo varia de acordo com o ambiente.

A maioria dos peixes respira por meio de brânquias, também conhecidas como guelras. O coração deles têm duas cavidades: um átrio e um ventrículo. Alguns representantes desse grupo são herbívoros e alimentam-se, na maioria dos casos, de algas. Outros alimentam-se das mais variadas espécies de peixes. O sistema digestório de todos esses seres é constituído de boca, faringe, esôfago, intestino, estômago, além de glândulas anexas, como fígado e pâncreas.

Receba as novidades sobre Saúde e Bem-estar, Astrologia, Beleza, Culinária e muito mais!

Existem duas classes de peixes: a classe dos condrictes (peixes cartilaginosos) e a classe dos osteíctes (peixes ósseos). Em relação à fecundação nas espécies cartilaginosas, ela ocorre de forma interna: o macho introduz seus espermatozoides na fêmea, onde os ovos são fecundados. Nos seres ósseos, esse processo é externo: a fêmea e o macho liberam gametas na água e, após a fecundação do óvulo por um espermatozoide, forma-se o zigoto.

2. Anfíbios

Os anfíbios são encontrados apenas em água-doce e no ambiente terrestre. Os seres adultos dessa classe precisam viver perto da água, pois tem a pele fina e pobremente queratinizada, o que a torna muito sujeita a perda de água. O coração desses animais apresenta três cavidades: dois átrios (um direito e um esquerdo) e um ventrículo.

Em relação à fecundação dos anfíbios, ela é externa e ocorre em meio aquático. Cada ovo (fruto da fecundação) possui uma membrana transparente. Ela contém, no interior, um embrião em desenvolvimento, que consome, para a sua sobrevivência, alimentos ricos em reservas originadas do óvulo. Após certo tempo de desenvolvimento, de cada ovo emerge uma larva sem patas, com cauda e brânquias, conhecida como girino.

Depois de algum tempo de vida na água, os animais desse grupo sofrem uma série de modificações, o que significa a entrada deles na fase adulta. Essa transformação tem como resultado a reabsorção da cauda e das brânquias, e o desenvolvimento do pulmão e das quatro patas.

Crocodilo na beira d'água com mato no fundo
Os répteis apresentam placas em sua pele (Imagem: Shutterstock)

3. Répteis

Existem cerca de 7 mil espécies de répteis conhecidas. Esse grupo surgiu há 300 milhões de anos, sendo os primeiros vertebrados efetivamente adaptados à vida em lugares secos. Eles são pecilotérmicos, ou seja, a temperatura do corpo varia de acordo com a temperatura do ambiente. A pele deles pode apresentar escamas (cobras), placas (jacarés, crocodilos) ou carapaças (tartarugas, jabutis).

A respiração dos répteis é pulmonar. Seus pulmões são mais desenvolvidos do que os dos anfíbios, apresentando dobras internas, o que aumenta a capacidade respiratória deles. O coração da maioria desses animais apresenta dois átrios e dois ventrículos parcialmente divididos.

A maioria dos répteis é carnívora, porém existem alguns que são herbívoros e onívoros. Todos eles possuem sistema digestório completo. Em relação à reprodução, a maioria deles é ovípara, ou seja, a fêmea põe ovos, de onde saem os filhotes. Esses ovos têm casca rígida e consistente, e se desenvolvem em ambiente de baixa umidade.

4. Aves

As aves constituem uma classe caracterizada, principalmente, por possuírem penas. Elas são endotérmicas (mantém a temperatura do corpo estável) e ovíparas. Esses animais constituem mais de 9 mil espécies ao redor do planeta, e o coração de todos eles são divididos em quatro cavidades, sendo dois átrios e dois ventrículos.

Embora o pulmão das aves seja pequeno, elas comportam sacos aéreos, que são ramificações pulmonares membranosas. Esses animais possuem um sistema digestivo completo, que é composto por boca, faringe, esôfago, papo, proventrículo, moela, intestino, cloaca e órgãos anexos, como fígado e pâncreas.

Todas as aves possuem uma bolsa única, a cloaca, onde desembocam as partes finais do sistema digestivo, urinário e reprodutor. Além disso, essa bolsa se abre para o exterior, eliminando fezes, urina e ovos.

5. Mamíferos

Os mamíferos constituem o grupo mais evoluído e mais conhecido do reino animal. Nesse grupo, encontram-se as toupeiras, morcegos, roedores, gatos, macacos, baleias, cavalos e, até mesmo, o homem. Com raras exceções, todos apresentam o corpo coberto de pelos e temperatura constante.

A pele dos mamíferos é formada por duas camadas principais: derme e epiderme. As glândulas localizadas na derme (sebáceas, sudoríparas e mamárias) são os aspectos mais marcantes. O sistema digestório desses animais é formado por um longo tubo, que vai da boca até o ânus. Todos eles são seres pulmonados, ou seja, o ar entra pelas vias respiratórias e vai até os pulmões. O coração deles apresenta quatro cavidades, com circulação fechada, dupla e completa, sem que haja mistura de sangue.

Todos os mamíferos apresentam fecundação interna, no qual o macho coloca o esperma dentro do corpo da fêmea, ocorrendo o encontro dos gametas. Esses seres, chamados vivíparos, têm filhotes que nascem após serem gerados no útero da mãe. Em relação à reprodução, os mamíferos se dividem em três grupos: placentários (maior grupo, em que os ovos amnióticos são minúsculos e retidos no útero da fêmea para desenvolvimento), marsupiais (grupo onde não existe placenta para nutrir o embrião durante o desenvolvimento no útero) e os monotremados (grupo de animais que põe ovos semelhante ao dos répteis, no qual nasce um minúsculo embrião, que se desloca para uma bolsa para terminar o seu desenvolvimento).

Redação EdiCase

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.