Conheça os benefícios das histórias para as crianças

Conheça os benefícios das histórias para as crianças
Contar e ler histórias ajuda no processo de aprendizado e enriquece a relação com a criança (Foto: Shutterstock)

Além de contribuir com o processo de aprendizagem, as narrações fortalecem o vínculo afetivo com os pequenos

Por Betânia Lins

A contação de histórias ajuda a criança a aprender a expressar emoções e opiniões, incentiva a imaginação, o gosto pela leitura, a criatividade e o senso crítico. A Base Nacional Comum Curricular (BNCC) reconhece a importância da oralidade e aponta a escuta, a fala, o pensamento e a imaginação como os campos de experiência para a educação infantil.

> 5 benefícios do caratê para crianças

Ouvir histórias contadas por professores na escola e por pessoas próximas nos ambientes familiares contribui na formação das crianças. Além de fortalecer o vínculo afetivo e criar momentos de conexão, de transmissão de valores, de cumplicidade e de amor.

Histórias ajudam a fortalecer a relação com as crianças

Segundo a contadora de histórias Patrícia Giuffrida, também editora de conteúdo do time de marketing da Geekie (plataforma digital de educação), o costume de narrar histórias permite uma conexão forte entre o adulto e a criança, o que influencia em todo o processo de aprendizagem.

Como prender a atenção das crianças?

Patrícia Giuffrida recomenda algumas práticas para preparar o momento da contação. “É importante, por exemplo, criar um clima de concentração, chamando a atenção das crianças. O contador pode usar um instrumento musical, declamar uma parlenda ou convidar os pequenos para cantar uma cantiga curta. Isso acalma e faz com que fiquem atentos para escutar a história. Depois é só começar. Podemos usar frases de efeito como: ‘era uma vez…’, ‘há muito tempo…’, ‘numa terra distante…’”, sugere.

É importante escolher os livros de acordo com a idade da criança (Foto: Shutterstock)

Livros indicados para cada faixa etária

A escolha do livro para apoiar a contação de histórias, segundo Patrícia Giuffrida, deve levar em consideração a faixa etária em que a criança está. Confira, a seguir, cinco dicas da contadora para escolher o livro ideal de acordo com a idade.

Até 1 ano

Sabia que os bebês gostam de livros? Escolha os pequenos cartonados, de plástico ou de pano, porque são mais fáceis de a criança manusear. E quanto mais texturas e figuras coloridas, melhor. Uma boa dica para contar a história é apontar para as figuras e dizer em voz alta o nome delas. Essa prática ajuda o pequeno a aumentar o vocabulário e a entender que ilustrações representam coisas reais.

> Entenda o porquê crianças não devem pintar o cabelo

1 a 3 anos

Aposte em livros ricos em ilustrações coloridas, em diferentes formatos e texturas, assim a criança consegue explorar a história a partir do tato. As que fazem sucesso nessa fase são as histórias curtas com textos rimados como parlendas, poesias e canções folclóricas e cheias de repetições.

3 a 6 anos

Nessa fase, a criança passa a ter um vocabulário cada vez mais amplo, por isso, invista em livros com histórias mais longas, com enredos simples, poucos personagens e menos imagens. Uma boa indicação são as fábulas e os contos de fadas, que aguçam a imaginação. Depois da contação, peça a colaboração do pequeno para recontar a história que acabou de ouvir. 

> Como lidar com crianças que têm dificuldade para comer

6 a 8 anos

Para essa turminha, os livros indicados são aqueles ainda com imagens, mas com histórias mais longas e elaboradas, com personagens definidos por sua personalidade e seu caráter. Também valem histórias que podem ser vinculadas à realidade e ambientes conhecidos, como a escola.

8 a 10 anos

Já estão preparados para histórias mais complexas, com enredos que abordam situações-problema e com desfechos mostrando soluções. Nessa faixa etária, fazem sucesso as narrativas de viagem, as mitologias e as lendas.

Confira passatempos educativos e divertidos para as crianças.

Redação EdiCase

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.