Entenda a importância da coleira para os animais de estimação

Entenda a importância da coleira para os animais de estimação
Coleira é importante para animal de estimação (Imagem: Shutterstock)

Acessório é fundamental para garantir a segurança dos pets fora de casa

Após a adoção, uma das primeiras compras dos tutores para o cachorro ou gato deve ser a coleira. Além da função estética, esse acessório é bastante importante para garantir a segurança do animal.

Durante os passeios, no caso específico do cachorro, ele pode ficar agitado com tantas novidades em volta dele. Por isso, a coleira juntamente com a guia pode ser usada para controlar essa agitação, além de evitar também que ele fuja, seja atropelado ou brigue com outros cães.

Coleira com identificação

Outra função importante desse acessório é ajudar na identificação do animal. Caso ele escape da guia durante um passeio, fuja de casa ou se perca por qualquer outro motivo, a coleira com identificação (seja bordada ou com placa) aumenta as chances de reencontrá-lo. Para isso, é preciso colocar o nome do pet e do tutor e um telefone, assim quem achá-lo poderá entrar em contato.

Animais com microchip

Mesmo os animais que possuem microchip precisam utilizar a coleira com identificação, pois nem todas as clínicas veterinárias possuem tecnologia para leitura. Além disso, se os dados cadastrados estiverem desatualizados, de nada valerá o microchip se o bichinho estiver perdido.

Qual opção escolher?

Atualmente, existe uma infinidade de modelos de coleiras à venda. Porém, a escolha deve ser feita com cuidado. “O uso de coleiras depende do porte [do animal], comportamento e finalidade”, explica Caroline Mouco Moretti, médica veterinária clínica e diretora geral do Grupo Vet Popular.

A coleira garante a segurança do animal (Imagem: Shutterstock)

Segundo ela, se o cachorro é de pequeno porte e tem comportamento tranquilo, pode-se usar a coleira. Porém, se ele é um animal mais agitado, é recomendado utilizar o peitoral, para ajudar na contenção durante os passeios e evitar machucá-lo, caso necessite de um maior controle de movimento na rua. No caso dos gatos, que não saem para passeios externos, a coleira pode ficar à critério do tutor.

Utilizando corretamente

A médica veterinária também explica que a coleira ou o peitoral não deve ficar folgado nem apertado, pois pode facilitar fugas ou causar machucados no animal. “O mais recomendado é deixar sempre a folga de um dedo entre a coleira e o pescoço”, orienta.

Coleira em casa

Além disso, cães e gatos não devem usar a coleira com identificação somente em momentos de passeios. O ideal é utilizá-la sempre, mesmo dentro de casa. Ainda que o tutor tenha o máximo de cuidado, o animal pode fugir da residência ao encontrar uma porta aberta, por exemplo. Então, é melhor mantê-lo sempre identificado.

De acordo com Caroline Mouco Moretti, nos passeios pode-se utilizar o peitoral e em casa a coleira, assim garantindo a segurança e conforto do animal. “Sempre lembrando de ter a plaquinha ou tag de identificação em ambos os acessórios”, enfatiza.

Adaptação do animal

Alguns cachorros e gatos podem se sentir incomodados com o uso da coleira. Por isso, é recomendado inserir o acessório na rotina deles ainda quando filhotes. “Fora isso, associar o uso às coisas boas, como passeio e petiscos, pode auxiliar nessa adaptação”, completa a diretora geral do Grupo Vet Popular.

Confira na revista Guia dos Pets outras dicas para cuidar do seu animal de estimação.

Laleska Diniz

Jornalista com formação pela PUC-SP. Apaixonada por produção de conteúdo, trabalha há quase 4 anos com comunicação. Na EdiCase, produz textos sobre os mais variados assuntos para revistas impressas e digitais, portal de notícias e Instagram.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *