10 benefícios de andar de bicicleta para a saúde e a boa forma

10 benefícios de andar de bicicleta para a saúde e a boa forma
Estabelecer uma rotina com o ciclismo melhora a saúde física e mental (Imagem: Monkey Business Images | ShutterStock)

Andar de bicicleta é uma atividade versátil e prazerosa que vai muito além de ser apenas um meio de transporte ou uma forma de lazer. A partir da crescente preocupação com a busca por uma vida mais ativa, o ciclismo tem se destacado como uma excelente opção para melhorar a saúde física e mental, bem como para a conquista de uma boa forma.

Os benefícios de pedalar vão desde os impactos positivos na saúde cardiovascular e a queima de calorias até o fortalecimento muscular e o aprimoramento da saúde mental. Confira como essa atividade de baixo impacto pode trazer resultados significativos para o corpo e para a mente!

1. Melhora a saúde mental

Além dos benefícios físicos, andar de bicicleta ajuda a manter a saúde mental. A prática do ciclismo libera endorfinas, substâncias químicas responsáveis pela sensação de bem-estar e pela redução do estresse. Essa liberação de endorfinas pode melhorar o humor, aliviar sintomas de ansiedade e depressão, assim como promover uma sensação geral de felicidade. Nesse sentido, o ciclismo ao ar livre proporciona uma conexão com a natureza e um ambiente agradável. Isso, por sua vez, pode reduzir o estresse e a fadiga mental.

O ortopedista especializado em coluna vertebral Daniel Oliveira, diretor do NOT, diz que andar a pé ou de bicicleta, mesmo sem pensar na prática esportiva ou como atividade física, já libera certa dose de endorfina. Tal ação, por si só, deixa o indivíduo mais bem-humorado e disposto, o que também interfere positivamente na produtividade.

2. Benefícios cardiorrespiratórios

Daniel Oliveira cita a melhora do sistema cardiorrespiratório. Andar de bicicleta é um exercício cardiovascular eficaz. Ao pedalar, o coração bombeia mais sangue para os músculos, aumentando a circulação sanguínea e a oxigenação do corpo. Isso fortalece o músculo cardíaco, reduz a pressão arterial e melhora a saúde geral do sistema cardiovascular. “Os benefícios são sentidos a curto, médio e longo prazos, a favor do envelhecimento mais saudável e longe de várias doenças crônicas”, aponta o especialista.

3. Fortalecimento das articulações e da musculatura

Pedalar é uma excelente forma de fortalecer a musculatura, especialmente das pernas e dos glúteos. Os músculos das coxas, panturrilhas e dos quadríceps são ativados durante o movimento de pedalar, o que ajuda a tonificá-los.

Além disso, a estabilidade e o equilíbrio necessários para se manter em uma bicicleta também trabalham os músculos do core, como os abdominais e os músculos das costas. Com o tempo, o fortalecimento desses grupos musculares melhora a postura e reduz o risco de lesões e dores nas costas.

4. Contribui na prevenção à osteoporose

O ciclismo regular, combinado com uma dieta equilibrada rica em cálcio e vitamina D, pode contribuir para a prevenção da perda óssea. Ademais, ajuda a manter a densidade adequada dos ossos, reduzindo o risco de desenvolver osteoporose.

5. Controle ou redução de peso

Pedalar regularmente pode ser uma ótima estratégia para perda de peso e controle do peso corporal. O ciclismo é um exercício que queima calorias de forma eficiente, principalmente quando praticado em intensidades mais elevadas ou em terrenos acidentados. Durante um passeio de bicicleta, é possível queimar até 500 calorias por hora, dependendo do peso corporal e da intensidade do exercício.

“Pedalar eleva a temperatura do corpo, acelera o metabolismo e potencializa a queima de caloria. Por isso, é uma ótima pedida para quem quer perder peso”, complementa Juliana Romantini, professora de Educação Física.

6. Regula os níveis de colesterol

De acordo com Cristiane Moulin, os exercícios aeróbicos, como a bicicleta, são os mais efetivos no combate ao colesterol alto. “Como as respostas benéficas requerem uma prática contínua de atividade física, o exercício deve ser uma prática que traga prazer para que se tenha aderência”, aconselha a endocrinologista.

Já Helson Anacleto, professor de Educação Física, cita que a atividade física é tão eficaz quanto os remédios no combate ao colesterol alto. Contudo, essa relação não se deve aos números em si, mas à mudança de comportamento. “Exercício físico modifica comportamentos e padrões viciosos. Medicamentos não. Quando adotamos a proposta de fazer exercícios físicos e cuidar da alimentação com o objetivo de cuidar da saúde, promovemos uma modificação de comportamento”, defende.

O aumento no fluxo sanguíneo durante a atividade estimula a produção de colesterol HDL (lipoproteína de alta densidade), conhecido como “colesterol bom”. O colesterol HDL ajuda a remover o colesterol LDL das artérias. Aumentar os níveis de colesterol HDL por meio do ciclismo trata-se de algo benéfico, pois ajuda a equilibrar os níveis de colesterol no corpo e reduz o risco de comprometer as artérias.

Mulher andando de bicicleta ao ar livre
Além de benéfica para o corpo, a bicicleta é capaz de levá-lo a novos cenários (Imagem: Shutterstock)

7. Aumenta a longevidade

A prática consistente do ciclismo tem sido associada a uma maior longevidade. O exercício aeróbico regular, como andar de bicicleta, melhora a saúde cardiovascular, reduz o risco de doenças crônicas e ajuda a manter um peso ideal, fatores que estão diretamente relacionados à longevidade. O ciclismo promove um estilo de vida ativo, o que contribui para uma melhor qualidade de vida e um envelhecimento saudável.

8. Melhora a qualidade do sono

O ciclismo pode ajudar a melhorar a qualidade do sono. A prática, como já mencionado, ajuda a regular os ritmos cardíacos, o que contribui para um sono mais profundo e reparador, e uma boa qualidade de sono é essencial à recuperação muscular, à função cognitiva e ao bem-estar geral.

9. Estabelecimento de uma rotina de exercícios

Incorporar a bicicleta à sua rotina diária pode ajudar a estabelecer uma prática regular de exercícios. Ao definir um horário específico para pedalar, você cria um compromisso consigo mesmo e aumenta a probabilidade de seguir essa rotina. Pedalar regularmente, mesmo que seja por curtos períodos, auxilia a desenvolver o hábito de se exercitar, algo fundamental para uma vida saudável e ativa.

10. Diminui o risco de demência e Alzheimer

Embora a bicicleta em si não seja capaz de diminuir diretamente o risco de desenvolver Alzheimer, a prática regular de exercícios físicos, como pedalar, tem sido associada a benefícios ligados à prevenção dessa doença neurodegenerativa.

Em estudo publicado no Journal of Aging and Physical Activity (2020), os pesquisadores examinaram os efeitos do ciclismo em adultos mais velhos. Os resultados indicaram que o ciclismo regular estava associado a melhorias na saúde cardiovascular e à melhora das habilidades cognitivas, incluindo a memória. Esses achados sugerem que o ciclismo pode ter um papel importante na prevenção de condições relacionadas à saúde cerebral, como o Alzheimer.

Manoella Bittencourt

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *