Creme anti-idade: 3 dicas para escolher o melhor produto

Creme anti-idade: 3 dicas para escolher o melhor produto
É importante comprar produtos que atendam às necessidades da sua pele (Imagem: Shutterstock)

Atualmente, surgem muitas novidades contra as rugas, flacidez e todo tipo de cuidados com a pele. Mas será que todos os produtos são efetivos? “Os dermocosméticos anti-idade são efetivos desde que orientados por um profissional prescritor, que avaliará a necessidade da pele do paciente, prescrevendo a formulação de um cosmético personalizado e adequado para cada tipo de pele”, explica Maria Eugênia Ayres, farmacêutica e gestora técnica da Biotec Dermocosméticos.

Existem muitos problemas que decorrem da compra de um produto sem conhecimento. Isso porque, além de atender às necessidades de sua pele, é necessário também que o produto seja específico para o seu tipo de pele. “Por exemplo, quem possui a pele oleosa deve procurar por produtos formulados em veículos mais fluídos, como séruns, loções ou géis. Já quem tem a pele seca deve optar por veículos mais pesados, como os cremes”, explica a dermatologista Dra. Paola Pomerantzeff, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia. Abaixo, entenda mais sobre o que você deve observar na hora de adquirir um cosmético.

1. Defina a principal preocupação

Defina sua preocupação principal. O primeiro passo para escolher um produto anti-idade ideal é decidir qual a sua principal preocupação relacionada ao processo de envelhecimento e procurar um cosmético capaz de resolvê-la. Concentrar-se em apenas uma preocupação, como rugas ou manchas escuras, é a maneira ideal de obter os melhores resultados, afinal, nenhum produto pode tratar todos os sinais de envelhecimento da pele. “Além disso, usar mais de um produto antienvelhecimento em poucos dias ou semanas pode causar irritação à pele”, alerta a dermatologista.

2. Tecnologias das formulações

As formulações atualmente estão cada vez mais multifuncionais e com tecnologias específicas. “O consumidor precisa estar atento a fórmulas que, além de contarem com ativos anti-idade, antioxidantes, hidratantes e protetores solares, possuam tecnologia que permitam que os princípios ativos atinjam realmente o local desejado e isso conseguimos através da nanotecnologia. Nas farmácias de manipulação, temos uma tecnologia Pro Lipo Neo®, conhecida como cosmético drone. É um ativo que funciona como um vetor, promovendo uma entrega do ingrediente ativo exatamente onde ele deve agir sem perder eficácia”, explica a farmacêutica.

Tecnologias como encapsulamento também podem ser utilizadas. “O encapsulamento não é necessariamente novo, mas a inovação é a adição de ‘marcadores’ baseados em aminoácidos que tornam o encapsulamento mais provável de se ligar a certos tipos de células na pele”, explica a dermatologista. Isso evita que o sistema de encapsulamento “libere” o ativo até chegar à parte da pele onde é necessário. “Nada se perde. Por exemplo, um peptídeo desenvolvido para os fibroblastos produtores de colágeno em sua pele permanecerá sem ação até atingir os fibroblastos. Sabemos que esse tipo de célula tem uma certa forma, então é possível projetar esse peptídeo para se conectar perfeitamente a ele”, explica a médica.

3. Ativos presentes na fórmula

Segundo a dermatologista, para pacientes que ainda não contam com marcas do envelhecimento, mas querem uma forma de prevenção, os hidratantes devem conter antioxidantes e estimuladores da produção de colágeno como o resveratrol, além do coringa ácido hialurônico. A farmacêutica Maria Eugênia explica a ação dos chamados antioxidantes.

“Eles vão auxiliar na manutenção de uma pele saudável, aliados ao efeito da proteção solar. Indico o uso de Alistin®, um antioxidante universal, que age protegendo a membrana celular da oxidação e interrompendo a propagação da atividade dos radicais livres, além de possuir ação antiglicante, diminuindo assim a formação de produtos de glicação avançada (AGEs) e protegendo o DNA em nível celular”, explica a farmacêutica.

“Para a rotina noturna, o uso de Ascorbosilane C®, uma vitamina C extremamente estável associada ao silício orgânico, possibilita que o ativo permeie as camadas mais profundas da pele e tenha uma ação mais efetiva e com menor chance de oxidação deste ativo na superfície cutânea, promovendo ação antioxidante e anti-idade de primeira linha”, completa.

Hidratantes com antioxidantes ajudam a combater os efeitos do envelhecimento na pele (Imagem: Shutterstock)

Cuidados além do skincare

Segundo a farmacêutica Maria Eugênia, é necessário ter o pé no chão. “O paciente deve estar atento e ter a consciência de que somente utilizar cremes anti-idade de maneira isolada não será o suficiente. Existem inúmeros hábitos que devem ser mudados, como a manutenção de uma alimentação balanceada, para oferecer os nutrientes necessários para deixar o cabelo, a pele e o corpo mais bonitos”, explica.

O uso de suplementos alimentares também pode ser indicados pelo médico para melhorar a qualidade da pele. “Visto que eles agem de dentro para fora promovendo estímulo ao colágeno, atuando como antioxidantes, antiglicante (revertendo efeito do açúcar na pele), anti-inflamatórios e nutritivos”, acrescenta.

Procedimentos em consultório

De acordo com a dermatologista Dra. Mônica Aribi, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia e da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica, procedimentos em consultório também podem ajudar, como é o caso do HydraFacial. “Ele pode ter um efeito de rejuvenescimento se feito regularmente, pois como traz uma desobstrução dos poros e melhora da hidratação e da vascularização da pele, consegue obter resultados melhores dos cremes usados diariamente, além de entregar mais nutrientes à pele por meio da dieta”, explica a médica.

Outros tipos de tecnologia

Outras tecnologias como lasers, radiofrequência e ultrassom microfocado também podem ser usadas. “Cada um à sua maneira, por efeito térmico, por pontos de coagulação (ultrassom microfocado) ou por efeito fotoacústico (laser de picossegundos), as tecnologias têm o objetivo de estimular colágeno, tratando rugas e flacidez. Uma vantagem é que podem ser usadas de maneira preventiva para a criação de uma poupança de colágeno”, diz a Dra. Paola Pomerantzeff. “Visitar um médico é o melhor meio de saber qual procedimento responderá melhor àquilo que sua pele precisa. Através de uma criteriosa investigação, o médico poderá verificar o que é necessário para promover o efeito anti-idade”, finaliza a dermatologista.

Por Paula da Holding Comunicações

Redação EdiCase

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.