Veja como combinar estilos no décor residencial

Veja como combinar estilos no décor residencial
Sala de jantar com décor contemporâneo com peças clássicas (Imagem: Henrique Ribeiro)

Quando se faz o planejamento de uma casa ou apartamento, o caminho natural de um projeto é seguir uma linguagem arquitetônica que acompanhará desde a obra, até a definição da paleta de cores, mobiliário e objetos decorativos. Muitas vezes, não apenas um único estilo engloba as preferências do moradores: para atender as referências que cada um almeja, o profissional de arquitetura entra em cena para combinar e fazer do projeto a realização de um sonho. “Quem disse que o décor precisa seguir apenas um único estilo?”, destaca Priscila Tressino, arquiteta do escritório PB Arquitetura.

Com a experiência ao lado do seu sócio, o também arquiteto Bernardo Tressino, ambos falam sobre a possibilidade de mesclar diferentes estéticas e assim criar algo exclusivamente único. Confira!

Por onde começar

Como ponto de partida, a dupla ressalta a importância de listarem as preferências e interesses dos moradores. Questões como as cores que mais os agradam e menções que envolvem texturas, papéis de parede, estampas e o design dos mobiliários são alguns dos pontos que ajudam os arquitetos a sentarem para discutir as melhores combinações.

“Nada é óbvio e não existe uma ‘receita de bolo’ a ser implementada. Por isso, o visual pode surpreender sempre!  Com a nossa prática no escritório, aprendemos que o estilo pessoal de cada cliente, seja pela idade, poder aquisitivo ou o que quer que seja, não dita a regra para o desenvolvimento do projeto. Ouvimos muito cada um deles e criamos tudo atendendo as expectativas que eles nos apresentam”, comenta Bernardo.

É a partir dessas escolhas que a mistura de gostos dá lugar à sintonia de estilos na decoração. Segundo a dupla de profissionais, o processo se torna mais simplificado quando as estéticas possuem características mais similares, como o minimalismo com o industrial. A atenção deve ser redobrada quando os perfis são opostos: nesses casos, é preciso evitar que as duas ‘briguem’ no protagonismo, gerando um ambiente desarmônico.

Pontos de destaque

A adoção de características distintas da decoração pode se fazer presente tanto em um único cômodo ou salpicado pelos demais espaços da residência. A busca pelos contrapontos em equilíbrio sutil é o maior desafio do arquiteto. “A riqueza mora nos detalhes e a grande sacada é apostar em pontos de destaque dispostos com criatividade. A arquitetura de interiores nos abre horizontes para seguir além do óbvio e trabalhar um olhar singular”, esclarece Priscila.

Dentro de uma roupagem atual, ela explica que um exemplo bastante praticado é a aplicação de molduras retas e monocromáticas, assumindo um viés mais moderno. “Substitui muito bem aqueles ‘rococós’ com flor-de-lis dourados que são típicos do clássico”, completa.

Área gourmet com marcenaria clássica (Imagem: Henrique Ribeiro)

Escolha de cores e materiais

No geral, a paleta de cores e a escolha dos materiais exercem o papel mais importante no resultado, mas outros diversos pontos de contrastes podem ser trabalhados, como a mistura de texturas, o novo com o antigo, o simples e o elaborado e as formas retas e orgânicas. “O principal é definir aquilo que se sobressairá, bem como o conjunto que será visualizado em segundo plano”, determina Bernardo.

Para quem deseja inserir pitadas de clássico no moderno, os dois enumeram como a decoração pode ser trabalhada:

  • Materiais nobres como mármore, seda, cristal;
  • Mobiliário clássico como cadeiras, poltronas, marcenaria provençal e peças herdadas que possam ser revitalizadas;
  • Adornos: boiseries, lustres e vasos de cristal, estampas românticas com motivos florais e de arabescos, tapeçaria, papel de parede, metais nos tons dourado ou de latão (incluindo os puxadores, gradis e torneiras/misturadores e outros acessórios para cozinhas e banheiros).

Longe de investir apenas no preto e branco, eles enfatizam que a criatividade e disposição são essenciais para quem procura um décor com mais de uma identidade. A medida certa para aplicação dos itens resulta em projetos com personalidade única.

Por Emilie Guimarães

Redação EdiCase

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.