Síndrome de Tourette: entenda a condição que afeta o participante do BBB23 “Cara de Sapato”

Síndrome de Tourette: entenda a condição que afeta o participante do BBB23 “Cara de Sapato”
Lutador 'Cara de Sapato' revela ter Síndrome de Tourette (Imagem: Reprodução digital | TV Globo)

Integrante do elenco do Big Brother Brasil 2023, o lutador profissional Antônio Carlos, mais conhecido como “Cara de Sapato”, recentemente tornou-se assunto nas redes sociais. Isso porque os movimentos repetitivos que ele costuma fazer com a boca geraram questionamentos entre o público.

Em uma conversa com os brothers, na casa mais vigiada do Brasil, o atleta esclareceu o assunto e revelou ter sido diagnosticado, aos 7 anos, com a Síndrome de Tourette. E, apesar de, há 26 anos, existir, no Brasil, a Associação Solidária do TOC e Síndrome de Tourette (ASTOC), a recente repercussão sobre o tema demonstrou falta de conhecimento da sociedade sobre a condição.

Por isso, a médica psiquiatra Dra. Jéssica Martani, especialista em comportamento humano e saúde mental, esclarece o que é a doença, quais são sintomas e como tratar. Confira!

O que é a Síndrome de Tourette?

Segundo a Dra. Jéssica Martani, a Síndrome de Tourette é uma doença neurológica que, apesar de não ter uma causa definida, é caracterizada por movimentos involuntários e repetitivos, como tiques motores e vocais.

“Essa síndrome é incompreendida em relação às suas causas, mas hoje sabemos que há fatores genéticos que podem causar essas alterações neuroquímicas. Entretanto, já existem relatos do diagnóstico de pessoas com essa síndrome após sofrerem traumatismo craniano”, diz a médica.

Sintomas da condição

Conforme explica a profissional, na grande maioria dos casos, os sintomas são os tiques motores involuntários causados pelo sistema nervoso e que são os primeiros a surgir, como:

  • Piscar;
  • Franzir a testa;
  • Repetir palavras;
  • Caretas;
  • Movimentar repetidamente os dedos das mãos;
  • Chutar;
  • Balançar a cabeça (movimentos que geralmente ocorrem entre os 4 e 6 anos de idade).

Nos tiques vocais, é possível englobar atos como cuspir, gemer, soluçar, limpar a garganta e falar palavras inadequadas. “Todos podem ser repetitivos e difíceis de controlar”, revela a profissional.

Médica consultando uma menina no colo de uma mulher
Pais devem estar atentos às crianças para realizar diagnóstico precoce (Imagem: Shutterstock)

Diagnóstico

Geralmente, os sintomas da síndrome são apresentados antes dos 18 anos, ainda na infância ou na adolescência. É comum que estejam associados a outros transtornos e a outras adversidades. “Os principais problemas estão associados à dificuldade na socialização da criança, que podem ocasionar abalos na autoestima, propiciando outros transtornos mentais, como a ansiedade, a depressão e prejuízos na vida adulta que podem acometer até a vida profissional”, alerta a Dra. Jéssica Martani.

A fim de realizar um diagnóstico adequado, a especialista explica que os pais devem estar atentos aos sinais que as crianças normalmente demonstram. “O diagnóstico é feito pelo médico especialista, mas vale atenção aos sintomas que podem aparecer com uma frequência diária, em pelo menos um ano; daí, os exames de imagem e a avaliação médica que possam descartar outros diagnósticos são essenciais”, diz a profissional.

Tratamento para a síndrome

Apesar de a doença não ter cura, a Dra. Jéssica explica que ela pode ser controlada. Contudo, para isso, é essencial que o tratamento seja feito com um médico neurologista. Muitas vezes, ainda é importante intervenção do médico psiquiatra e do psicólogo – já que a ação multidisciplinar pode necessitar de psicoterapia a medicamentos de uso controlado, injeções de toxina botulínica e até mesmo a prática de exercícios físicos.

Por Mayara Barreto

Redação EdiCase

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *