Afasia: entenda a condição que afeta o ator Bruce Willis e o cartunista Angeli

Afasia: entenda a condição que afeta o ator Bruce Willis e o cartunista Angeli
Bruce Willis se aposentou por causa da afasia (Imagem: Shutterstock)

Neurologista explica que pacientes com afasia podem ter problemas para se comunicar e entender diálogos

Por Simone Valente

Recentemente, dois artistas anunciaram a aposentadoria por conta de uma mesma doença. O primeiro foi o ator Bruce Willis e, após, o cartunista brasileiro Angeli. Ambos foram diagnosticados com afasia. Mas, afinal, o que é essa enfermidade?

Inicialmente, é importante entender o que é afasia. “A afasia é um sintoma e caracteriza qualquer disfunção que prejudique a linguagem de diferentes maneiras, seja na fala, na escrita ou na leitura. Ela pode ser sintoma de várias doenças neurológicas, como o acidente vascular cerebral (AVC), epilepsia, tumor cerebral, demência e, inclusive, da afasia progressiva primária”, explica a neurologista Viviane Moroni Felici.

> Hipertireoidismo e hipotireoidismo: entenda as causas e as diferenças e veja como tratar

O que é afasia progressiva primária? 

A Afasia Progressiva Primária, que acometeu os dois artistas, é uma doença que pode afetar o modo como a pessoa se expressa. É degenerativa e definida como um quadro demencial, assim como o Alzheimer. Como a afasia primária afeta a linguagem, os primeiros sintomas muitas vezes só são percebidos pelo próprio paciente. Eles podem ser notados em situações cotidianas. 

> Estimule o seu cérebro: veja dicas para exercitar o corpo e a mente

Confira os principais sintomas

  • Discurso mais lento ou com hesitações;
  • Não conseguir lembrar nome de objetos ou palavras que quer falar;
  • Diminuição no uso da linguagem;
  • Dizer ou escrever palavras fora de ordem em uma frase;
  • Não entender, momentaneamente, palavras consideradas simples;
  • Trocar palavras;
  • Problemas na escrita e na leitura;
  • Dificuldade em fazer cálculos simples;
  • Não lembrar nome de pessoas mesmo que sejam conhecidas;
  • Não entender um diálogo mesmo que esteja ouvindo perfeitamente.

> Veja como proteger os filhos sem atrapalhar o desenvolvimento deles

O que é afasia?
Afasia primária afeta compreensão de diálogos (Imagem: Shutterstock)

Diagnóstico de afasia

Segundo a Dra. Viviane, primeiramente o paciente deverá passar por algumas avaliações, como a neurológica, a neuropsicológica e uma que faça a análise do discurso e da linguagem. Na sequência, ele será encaminhado para os exames. 

Exame de sangue: para excluir outras doenças que possam dar sintomas parecidos;

Ressonância magnética: o exame é fundamental para que o neurologista possa avaliar quais são as áreas afetadas do cérebro;

Tomografia de emissão de positrões: o fluxo sanguíneo e anomalias no metabolismo do açúcar em diferentes regiões do cérebro podem ser analisadas a partir dela;

Testes genéticos: eles podem identificar mutações genéticas que estejam associadas à afasia primária.

> Reeducação alimentar: cardápio completo para você se alimentar de forma saudável

Tratamento

“A afasia é uma doença sem cura e sem reversão. Então, o tratamento é responsável apenas por retardar as consequências da condição. Alguns medicamentos podem minimizar os impactos decorrentes dos sintomas, mas o acompanhamento médico pode ajudar ainda mais”, explica a Neurologista Viviane Moroni. Para isso, ela esclarece que uma equipe multidisciplinar formada por neurologistas, fonoaudiólogos e neuropsicólogos podem ser necessários na atuação no caso.

Conforme explica a médica, de acordo com o perfil de cada paciente é possível elaborar métodos que o ajudem a conviver melhor com as dificuldades. Além disso, também podem ser substituídos os métodos de comunicação, trocando a fala por gestos ou escrita, por exemplo.

> 4 óleos essenciais que ajudam a fortalecer a imunidade

Complicações

Mesmo com a possibilidade de buscar uma melhora na qualidade de vida do paciente, a afasia primária pode trazer outras complicações à saúde. “Alguns pacientes também têm dificuldade na deglutição, o que pode gerar engasgos e pneumonias. Por isso, é imprescindível iniciar o tratamento o quanto antes”, finaliza a especialista.

Acompanhe outras notícias sobre saúde na revista ‘Cuidando da saúde’

Redação EdiCase

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *